05/03/2015 - TEMA: Melhoramento Genético

GENÉTICA E PROLIFICIDADE EM OVINOS – PARTE 2


Como falado na parte 1 deste artigo, os fatores ambientais e genéticos são responsáveis pela taxa de prolificidade do rebanho ovino. Mas enquanto os efeitos ambientais, como manejo de alimentação, tem um impacto menor, a genética inerente a cada ovelha é que realmente define o potencial de produção de cordeiros em uma gestação. Alimentação e manejo contribuem até certo ponto, o permitido pela genética. Mas é esta quem realmente dita a regra, e é somente através de uma boa estratégia para melhorar geneticamente o rebanho que se consegue incrementos consistentes e duradouros.

Parto gemelar em ovinos

A prolificidade está diretamente relacionada à taxa de ovulação, ou seja, a quantidade de óvulos liberados pelo ovário durante a fase fértil do ciclo reprodutivo. É ela quem impõe o limite biológico da ovelha. Esta característica está intimamente ligada a alguns genes específicos existentes nos animais, portanto o aumento da frequência destes genes no rebanho é que o tornará mais prolífico.

Pelo que se sabe até o momento, a capacidade de maior ovulação de uma ovelha está associada à presença de mutações em alguns genes específicos, relacionados com alguns fatores que influenciam na dinâmica folicular, como o receptor BMP-1B, presente em algumas células do folículo, e com a proteína BMP-15. Foram identificados pelo menos 12 genes com efeito na taxa de ovulação, entre eles o Booroola, bastante conhecido, identificado na década de 70 em uma linhagem altamente prolífica de ovelhas da raça Merino na Austrália. No Brasil, um polimorfismo no gene GDF9 também foi relacionado à maior taxa de ovulação em ovelhas Santa Inês, Morada Nova e Rabo Largo. A presença destes genes pode ser identificada através de marcadores genéticos, facilitando a identificação de animais portadores.

No Brasil a mutação Booroola foi introduzida em ovelhas Texel e Corriedale pela Embrapa Pecuária Sul em rebanhos comerciais no Rio Grande do Sul. Atualmente existem animais destas raças portadores desta mutação disponíveis comercialmente. O desempenho de ovelhas Booroola na Embrapa Pecuária Sul foi de 193% de Taxa de Prolificidade.

Um conceito importante em melhoramento genético é o Herdabilidade. A Herdabilidade prediz o quanto de uma característica é influenciada pela genética, ou seja, o quanto ela pode ser transmitida de pais para filhos. A herdabilidade para Taxa de Ovulação em ovinos é de 0,15. Este valor já permite que esta característica seja inserida em um programa de melhoramento genético, obtendo os resultados desejados.

Colocados estes aspectos, resta saber como utilizar estas informações para promover o melhoramento genético do plantel, objetivando um aumento de prolificidade.

Em primeiro lugar, é necessário identificar quem são os animais portadores destes genes. Abaixo estão relacionadas as principais formas:

- Marcadores Genéticos: o uso da técnica de marcadores genéticos é bem eficaz, embora ainda tenha um custo alto para a criação de ovinos comercial. Esta técnica é capaz de identificar com precisão os animais que apresentam os genes responsáveis pela alta taxa de ovulação;

- Controle Zootécnico: de forma mais barata, em vez de identificar o gene, identifica-se, através da escrituração zootécnica, as ovelhas com a característica de apresentarem uma maior quantidade de partos gemelares. O controle zootécnico é essencial para todo a gestão da produção do rebanho e, mais uma vez, mostra sua importância neste contexto. O uso de um software para controle de ovinos é essencial para ajudar neste trabalho;

- Avaliação Genética: é uma análise estatística que consiste em isolar o efeito genético no desempenho dos animais, excluindo todos os fatores ambientais. Desta forma obtém-se a influência exclusiva que a genética exerce nos aspectos de importância econômica. Esta informação é expressa nas DEPs (Diferença Esperada na Progênie), que indica o quanto de melhora ou piora para uma determinada característica é esperado nos descendentes de um determinado reprodutor ou matriz.

A avaliação genética, além de ser uma metodologia relativamente barata, apresenta a grande vantagem de gerar informações validadas cientificamente, que mostram não só o potencial de uma matriz em apresentar partos gemelares, mas também a sua capacidade, assim como a dos reprodutores, de transmitirem estas características para o seus descendentes. Conheça mais sobre este assunto na nossa página do Proag Brasil - Programa de Avaliação Genética de Ovinos.

Conhecidos quem são os animais de interesse, basta utilizar as técnicas básicas de melhoramento genético:

- Introdução de genética superior: introduzir genética provada no plantel, seja pela compra de animais ou pelo uso de biotecnologias como inseminação artificial e transferência de embriões;

- Retirada de genética inferior: efetuar descartes estratégicos de animais que não apresentam o potencial de partos gemelares;

- Acasalamentos dirigidos: dentro do mesmo plantel existem animais com diferentes características. Deve-se direcionar os acasalamentos para corrigir problemas em grupos específicos de animais. Por exemplo, se um determinado carneiro tem potencial de transmitir a característica de partos gemelares ele pode ser acasalado com ovelhas que não tenham esta característica, mas que mereçam ficar no plantel por possuírem outras características desejáveis.

Portanto, alcançar uma alta taxa de prolificidade é um dos pontos de maior importância para obtenção da viabilidade econômica na criação de ovinos. Logicamente este processo deve ser acompanhado pela seleção de ovelhas com boa capacidade leiteira e aptidão materna, além de melhorias no manejo. Como foi explanado, a prolificidade é fortemente influenciada por fatores ambientais, como alimentação, mas um aumento consistente e duradouro somente é alcançado com melhoramento genético. Produtores e técnicos devem usar os métodos existentes para identificar esta característica nos animais e implantar um programa de melhoramento genético no plantel. Embora ainda existam algumas lacunas a serem esclarecidas no mecanismo genético associado a esta característica, a experiência mostra que os benefícios são impactantes na produção de ovinos e possíveis de serem alcançados.

Nos vídeos abaixo apresentamos dados reais de um rebanho e como utilizar o software para ovinos Pecuária Brasil para identificar animais geneticamente superiores para esta característica.

ASSISTA AO VÍDEO COMPLEMENTAR - apresentação de dados reais


Clique no link de qual vídeo deseja assistir

Genética e Prolificidade - Parte 1 Genética e Prolificidade - Parte 2


Leia mais artigos em nossa página de conteúdo técnico em pecuária

Conheca melhor o software Pecuária Brasil Ovinos, uma excelente ferramenta para ajudá-lo a gerenciar o seu rebanho.

Palavras chave: criação de ovinos, borregos, raças de ovinos, dorper, texel, santa inês, ile de france, corriedale, melhoramento genético, ovinos, booroola, marcadores genéticos, gene, prolificidade, pecuária, rebanho, partos duplos, partos gemelares, reprodução ovinos, efifiência reprodutiva em ovinos.


Deixe seu comentário, é importante para nós. Sua experiência enriquece nosso trabalho, e contribuirá com todos que lerem este artigo depois de você.